“Não tenham medo da novidade”

“Não tenham medo da novidade”

Era este o mote do Seminário Internacional das Células Paroquiais de Evangelização, tirado de um dos muitos discursos inspirados do nosso muito querido papa Francisco.

Desde quinta feira, dia 27 de março, que 25 irmãos das nossas paróquias, todos eles integrados em Células Paroquiais de Evangelização, estiveram assim como que com o nariz colado ao ecrã do computador.

Numa coisa são todos unânimes: foi muito bom e inspirador. As nossas paróquias haverão, se Deus quiser, beneficiar em muito com a nossa participação neste seminário. Pois então que assim seja: temos uma cidade inteira a quem anunciar a salvação proposta pelo Deus encarnado!

Não poderemos aqui detalhar tudo o que por lá foi dito, mas podemos dar uma vista de olhos ao programa: o mandato maior de evangelizar e as sete fases da evangelização; a conversão da pastoral; a Igreja existe é para evangelizar; o desafio da pandemia na evangelização; como preparar os membros das células para evangelizar; como usar as redes sociais para ir ao encontro, evangelizar e acompanhar mais pessoas; como crescer através da multiplicação e os sete desafios das Células Paroquiais de Evangelização.

Dito isto, haveremos todos de concordar que o tema foi a evangelização: pois então mãos à obra, que a experiência ensina que quando uma comunidade vê alguns dos seus membros de mangas arregaçadas tende ela própria a também arregaçar as suas. E temos muito por onde evangelizar: a cidade de Coimbra é muito grande e estão a chegar cada vez mais!

PS: há pouco, quando ligava a alguns membros das células que estiveram presentes neste seminário para ter tema para redigir estas linhas, eles foram-me dizendo – “estiveram a falar muito bem de como evangelizar através da internet… muito bom… temos que evangelizar mais através da internet, Paulo…” – R: plenamente de acordo; arregacemos pois todos as mãos porque a messe é grande e os trabalhadores são os que são – podemos rezar ao Senhor da messe que envie mais, mas enquanto isso não acontece teremos que trabalhar com os que cá estão.

Deixar uma resposta