Folha Paroquial 21.11.2021 — NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, REI DO UNIVERSO

Folha Paroquial 21.11.2021 — NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, REI DO UNIVERSO

O Senhor é rei num trono de luz.

A folha pode ser descarregada aqui.

EVANGELHO ( Jo 18, 33b-37 )
Naquele tempo, disse Pilatos a Jesus: «Tu és o Rei dos Judeus?». Jesus respondeu-lhe: «É por ti que o dizes, ou foram outros que to disseram de Mim?». Disse-Lhe Pilatos: «Porventura eu sou judeu? O teu povo e os sumos sacerdotes é que Te entregaram a mim. Que fizeste?». Jesus respondeu: «O meu reino não é deste mundo. Se o meu reino fosse deste mundo, os meus guardas lutariam para que Eu não fosse entregue aos judeus. Mas o meu reino não é daqui». Disse-Lhe Pilatos: «Então, Tu és Rei?». Jesus respondeu-lhe: «É como dizes: sou Rei. Para isso nasci e vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade escuta a minha voz».

 

 

MEDITAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS

Senhor Jesus Cristo, Rei e Senhor do Universo, Príncipe dos reis da terra, Alpha e Ómega de tudo quanto existe. A ti pertencem o poder, a honra e a realeza. Tu és o Rei do amor, tu que nos amaste e pelo teu sangue nos libertaste do pecado, fazendo de nós um Povo de louvor e adoração.

Senhor, conduz-nos pela mão e faz-nos entrar na visão da tua glória como Daniel, que, nas visões da noite, viu sobre as nuvens do céu o Filho do Homem cheio de glória e realeza, ou então leva-nos como Pedro ,Tiago e João, ao monte Tabor, para vermos a tua face divina. Às vezes, precisamos de ser conduzidos pelo Espírito à visão da tua glória para nos encher de alegria, de esperança e de louvor. Mas tu apareceste-nos como Deus encarnado, feito menino pobre, num presépio, desprovido de tudo. Aquele que era de condição divina não se valeu dessa condição, mas despojou-se a si mesmo para ser o mais humilde de todos os homens e se debruçar para lhes lavar os pés.

No evangelho de hoje revelas-te como um rei original. De mãos manietadas, a ser julgado pelos homens pecadores, cheio de fraqueza, manifestas a dignidade real que persiste e se torna ainda mais forte, na tua suprema serenidade e humildade que revela a tua grandeza muito mais do que as vestes sumptuosas, as coroas de ouro ou os palácios de marfim. Dizes-nos, desta forma, que a dignidade de cada homem não está na sua aparência, nas suas vestes, nas suas riquezas, no seu prestígio humano, mas naquilo que ele é, na sua essência.

E tu, na tua essência única, és o Filho eterno, Aquele que segundo a visão de Daniel lhe foi entregue o poder e a realeza. Tornaste-te grande, fazendo-te servo da humanidade, e ensinaste-nos o caminho da realeza. Unidos a ti, pelo batismo, como a vara aos ramos, também nós levamos connosco a dignidade de filhos de adoção filial. Podemos chamar ao teu Pai «Pai Nosso», pois Tu assim quiseste e nos ensinaste e enviaste- nos o teu Espírito que em nós testemunha que somos filhos de Deus e que pela tua morte na cruz e pela tua ressurreição fizeste de nós um povo real, quer dizer, em povo ministerial chamado a segui-te as pisadas como discípulos que aprendem contigo a servir. Como nos diz S. Paulo na Carta aos Romanos, Deus quer que reproduzamos na nossa vida a tua imagem (Rom 8,29) e compete-nos a nós tornar presente, no mundo e na Igreja, a imagem do Rei que reinou servindo e dando a vida por amor.

O serviço por amor é um dos propósitos essenciais da vida dos discípulos-missionários, inscrita na visão das nossas paróquias. Em S. José diz-se «Formamos discípulos que evangelizam com ousadia e servem com amor». Em S. João Batista, «queremos ser uma comunidade orante e acolhedora, enraizada em Cristo, que serve e anuncia o Evangelho para a transformação do mundo».

Ajuda-nos a imitar-te na humildade, no amor e no serviço, a ti, Rei da humanidade, que te tronaste Rei servindo e dando a vida. Sabemos que, se te imitássemos mais, as nossas comunidades seriam comunidades vivas de discípulos que te seguem na arte de servir com amor e rivalizaríamos uns com os outros na prontidão a servir. Deixaríamos de ser comunidades onde só alguns fazem alguma coisa, estafam-se, e outros assistem.

Neste dia, nosso Rei e servidor, fixamos os olhos em ti, na tua grandeza que se fez serviço humilde, e pedimos-te a graça da generosidade em servir com amor e humildade, para um dia reinarmos contigo junto do Ancião Venerável.

Deixar uma resposta