4-São José, pai no acolhimento

4-São José, pai no acolhimento

José acolhe Maria, sem colocar condições prévias. Confia nas palavras do anjo. «Na sua dúvida sobre o melhor a fazer, Deus ajudou-o a escolher iluminando o seu discernimento».

Na nossa vida, muitas vezes sucedem coisas cujo significado não entendemos. E a nossa primeira reação, frequentemente, é de desilusão e revolta.

Se não nos reconciliarmos com a nossa história, não conseguiremos dar nem mais um passo, porque ficaremos sempre reféns das nossas expectativas e consequentes desilusões.
Só o Senhor nos pode dar força para acolher a vida como ela é, aceitando até mesmo as suas contradições, imprevistos e desilusões.

Um pai – Revejo-me na figura paternal de São José, na medida em que ele representa os valores e a postura em que me configuro enquanto Pai, que ama os seus filhos de forma incondicional, apesar dos seus defeitos.

Outro pai – identifico-me porque ele sempre transmitiu ao seu filho Jesus o sentido de vida em comunidade e o amor pelos outros, valores que tento transmitir também aos meus filhos, fazendo-os compreender que também Deus amou incondicionalmente o seu Filho, e este lhe foi obediente concretizando aquela que era a vontade do Pai, que nos acolhe a todos no seu infinito amor.

Oração: São José, oh! meu terno pai, ponho-me para sempre sob a vossa proteção; considerai-me como vosso filho e preservai-me de todo o pecado. Não desprezeis as minhas súplicas, pai adotivo do Redentor, mas dignai-vos de acolhê-las piedosamente.

Deixar uma resposta