Adolescentes do 5º ano de catequese celebram a esperança perante a comunidade paroquial

Adolescentes do 5º ano de catequese celebram a esperança perante a comunidade paroquial

No passado dia 26 de maio, a igreja de S. José acolheu a habitual comunidade paroquial, na Eucaristia das 11h, e, de modo especial, as 46 crianças do 5º ano de catequese que, cumprindo o itinerário catequético, celebraram a Festa da Esperança. A igreja tornou-se pequena para todas as pessoas que quiseram testemunhar mais este passo na vida cristã destes adolescentes.

A celebração iniciou-se com a explicação do significado da palavra “Esperança”. Frente ao altar, nove crianças seguraram as letras da palavra, revelando o sentido de se fazer uma Eucaristia especial, tendo como foco o percurso da obra criadora de Deus para com o Seu Povo.

Inserida na Eucaristia dominical, esta celebração, conduzida pelo Padre Filipe Dinis, cumpriu todos os rituais habituais, contando com a participação dos adolescentes em quase todas as tarefas que integram o ritual atribuído aos leigos.

Coube ao Padre Filipe Dinis a presidência da celebração, que na homilia se focou no significado da palavra “Esperança”. Fez menção à génese da palavra, remetendo para a necessidade de viver em paz e no amor. “A palavra “Esperança” remete-nos para o verbo “esperar” e para esperar por algo ou por alguém é preciso ter paciência, que vem da palavra paz”, referiu o Pe. Filipe Dinis em resultado do diálogo estabelecido com as crianças.

Para além da necessidade de viver em paz, chamou a atenção para a importância do amor como alimento da esperança, conduzindo o olhar da assembleia para a imagem que ilustrou a homília deste domingo, da autoria de Fano. “Nesta imagem vemos duas pessoas que se estão a abraçar, que estão a ser bons companheiros”, afirmou o Pe. Filipe, lembrando que “se eu partilho, se eu abraço, se estou ao lado do outro, eu espero que também estejam ao meu lado”. Assim é a relação com Deus, desde a criação até à vida eterna.

Na reta final da homilia, o Pe. Filipe Dinis questionou os adolescentes: “vocês acreditam que Deus está na vossa vida?” Em uníssono a comunidade ouviu um sim convicto e, incentivados, foram dizendo onde O encontram: nas pessoas, na Missa, na escola, na catequese, na oração… Para concluir, o celebrante fez também menção aos pais “que nos dão o pão, o alimento”, mas também aos catequistas e aos professores, onde Deus também se revela.

“Temos esperança em Deus” afirmaram as crianças de forma convicta e audível no final da homilia.

Para além das dádivas da comunidade, recolhidas no ofertório, estiveram presentes três símbolos: as tábuas da lei, “onde estão as leis/mandamentos que orientam para o caminho do bem”, as alianças, “que representam o

compromisso com Deus”, e o catecismo, “onde se conhece e percebe qual o caminho a seguir”, explicaram. Neles, os adolescentes pretenderam dar sinal da intenção de “reforçar a esperança em Deus”, tal como afirmaram perante a comunidade.

A concluir a celebração, o Pe. Filipe Dinis dirigiu um “agradecimento aos pais pela presença e pelo testemunho” e convidou todas as crianças da catequese de infância da Igreja de S. José a integrar o coro infantil, assim como, a inscreverem-se nas aulas de religião e moral nas escolas, a serem acólitos, para que o compromisso assumido com Deus seja visível e efetivo.

Ana Carvalho

Deixar uma resposta